Gabriel Silva

Ordem dos Pregadores e Família Dominicana

In Documentos on 26/10/2005 at 14:22
O carisma de Domingos, dom de Deus para a Igreja, é uno e indivisível: a graça da pregação que se nutre e cresce na contemplação. Este carisma, pela sua grande vitalidade apostólica vai-se revelando sucessivamente no ao longo do tempo com nova expressividade riqueza e, por sua vez, torna-se realidade histórica concreta mediante formas e maneiras de estar diferentes de vida apostólica, graças à sua grande capacidade de entusiasmar mulheres e homens, jovens e adultos, crente em Jesus e testemunhas do Reino.O nome de “Ordem dos Pregadores” designa aqueles que chamados pelo Espírito Santo, e cujo modo de vida, confirmado pela Igreja, deriva do carisma particular dado a são Domingos. O nome “Família Dominicana” evoca a junção mútua visando uma maior unidade de todos os chamados pelo mesmo Espírito a participar de diferentes formas neste carisma. Em diferentes etapas históricas e sucessivas, ambas constituem um processo homogéneo e sem quebras. Todos na Família Dominicana nos sentimos unidos, irmanados, pela única missão de pregação “da palavra de Deus, anunciada ao mundo em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo”, segundo o estilo de Domingos.

No decorrer do tempo nascem do mesmo tronco da Ordem novos grupos com os seus projectos de vida e missão, inspirados nos traços característicos do carisma Dominicano, e adquirem formas jurídicas diferentes, de acordo com a época. Na actualidade:

Os Frades prometem obediência ao Mestre da Ordem «conforme as leis dos Pregadores»; as Monjas fazem profissão ao Mestre da Ordem e estão unidas ao frades num sentido espiritual. Os Leigos “incorporam-se na Ordem” nas Fraternidades Leigas de são Domingos, fazem a sua promessa ao Mestre da Orem, e seguem a “regra das Fraternidades Leigas de São Domingos” aprovada pela Igreja. De modo semelhante, as Fraternidades Sacerdotais de São Domingos procuram “conformar a sua vida e o seu ministério com o espírito e São Domingos”.

As irmãs das distintas Congregações Dominicanas, tão numerosas na nossa Família, participam na missão e no carisma da Ordem através da riqueza dos seus carismas congregacionais, ainda que não tenham nenhum vínculo jurídico ao Mestre da Ordem. São Congregações agregadas à Ordem pelo Mestre Geral, conservam a sua total autonomia e podem propor ao Capítulo Geral dos frades os seus desejos e sugestões referentes à Família Dominicana. Os Institutos Seculares agregados à Ordem “abraçam a profissão dos conselhos evangélicos no mundo, segundo o espírito de São Domingos”.

As associações anexas assinaladas em LCO (Sagrado Nome de Jesus, do Rosário, do Anjo da Guarda e da Beata Imelda). Os novos grupos que podem ser reconhecidos pelos Capítulos Provinciais dos frades ou pelos Priores províncias com o seu Conselho ou pelas Prioresas Gerais das Congregações de Irmãs, os integrantes dos diferentes grupos do Movimento Juvenil Dominicano e muitas outras pessoas que, sem nenhum tipo de compromisso formal, participam e colaboram de diferentes formas com a missão da Ordem. A nossa Família foi sempre uma casa aberta que acolhe sem cessar novos membros, por isso o Capítulo de Bolonha afirmou que a Família Dominicana pode ser considerada como um movimento aberto a novas formas de vida e missão.

A “Ordem dos Pregadores” é composta por aqueles que mediante profissão (para os que seguem os conselhos evangélicos, as monjas e os frades) ou promessas (para os membros as Fraternidades Leigas e sacerdotes que se comprometem a um modo de vida evangélico adaptados à sua condição) feitas ao Mestre, integram-se na Ordem. A sua incorporação na Ordem implica o compromisso permanente de viver no estilo peculiar da sua vida dominicana, aprovado pela Igreja, que tem a Domingos como modelo exemplar.

Tanto irmãs como membros de Institutos Seculares, das Fraternidades Leias e Sacerdotais, as monjas e frades podem ser considerados verdadeiramente por diversos títulos, integrantes da Ordem dos Pregadores, entendo o termo Ordem num sentido amplo que inclui a todos os que assumem o compromisso de um género de vida particular, inspirado na vida e missão de São Domingos e aprovado pela Igreja, cada um segundo a sua própria condição e com a autonomia respectiva estabelecida nos seus próprios estatutos.

Se o termo Ordem expressa melhor uma organização jurídica precisa, a imagem de Família evoca a experiência de pertença mútua, pela qual nos reconhecemos e nos apoiamos mutuamente como irmãs e irmãos todos reconhecendo a São Domingos como Pai comum. Integrada nas Constituições pelo Capítulo Geral de 1968, esta imagem reflecte uma realidade antiga que quer ser vivida de um modo novo. Coloca em realce a comunhão fraterna entre os distintos ramos e a consciência de que esta realidade implica vínculos profundos entre nós e atitudes concretas de complementaridade e colaboração, e respeito mútuo e igualdade de dignidade, na diversidade e peculiaridades de cada ramo. Estas diferenças surgem da urgência da nossa missão, que exige serviços diversos e complementares.

O Mestre Geral, como sucessor de são Domingos à frente da Ordem, ocupa um lugar fundamental dentro da Família Dominicana, como “princípio e sinal de unidade”. Não obstante, “se bem que o Mestre Geral desempenha o mesmo papel com todos os ramos ao promover a fidelidade ao espírito de São Domingos, há que ter em conta que a sua relação com cada uma eles é de ordem e grau diferente”.

In “Actas do Capítulo Geral da Ordem dos Pregadores”, (Cap. VIII), realizado em Providence (EUA, 2001),

Advertisements
  1. Prezado Frei reponsável,

    gostaria de saber informações sobre a espiritualidade dominicana, carisma.
    Tem algum livro e algum material que o senhor poderia me enviar?

    Sou formado no curso superior de regência pelo Conservatório Brasileiro de Música – Centro Universitário, no Rio de Janeiro, e estou cursando a Formação Pedagógica em Três Corações-MG na Universidade Unincor.

    Agradeço a atenção e aguardo retorno.

    Rogério Feijoli

    • Caro Rogério,

      Obrigado pela sua mensagem.
      Não sou frade mas leigo dominicano.
      Aqui em Portugal existe um livro chamado «Espiritualidade Dominicana», o qual poderá ser pedido à Livraria Verdade e Vida, Rua Santa Isabel 16, 2495-424 Fátima tel: +351.249531417 fax: +351.249533619

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: