Gabriel Silva

Cronologia de S. Domingos

In Personagens on 30/11/2005 at 10:50

1170 Domingos nasce em Caleruega (Espanha), da nobre família dos Gusmão.

1176 – Inicia sua primeira formação, sob a direção do tio sacerdote.

1184 – Estuda na universidade de Palência.

1191 – Assina um documento em Palência, como cônego do Cabido de Osma.

1194 – Ocupa a cátedra de Sagrada Escritura na Escola de Palência.

1204 – Deixa pela primeira vez a Espanha, acompanhando o bispo de Osma numa viagem até as Marcas (Norte da Europa), para tratar do casamento do príncipe Fernando, Filho de Afonso VIII.

1205 – Segunda viagem em direção das Marcas, para tratar do casamento do filho do rei. Tendo caído o motivo da viagem, em companhia do bispo Diogo, Domingos vai a Roma pela primeira vez.

1206 – Voltando de Roma, no mês de maio, Domingos se encontra em Montpelier com os Legados Pontifícios que pregam contra a heresia dos Cátaros (ou Albigenses). Junto com o bispo Diogo, ele deixa tudo e se entrega à pregação itinerante no Sul da França.

1206 – Junho-julho: controvérsias com os Cátaros em Servián, Bézier, Carcassona.
Em Montreal e Fanjeaux tem lugar o milagre da prova do fogo.

1206 – Outubro-novembro: fundação de Pruille.

1207 – Março: em Montreal, disputa com os hereges.

1207 – Outubro: o bispo Diogo volta à Espanha e morre no dia 30 de dezembro do mesmo ano.

1208 – Começa a Cruzada contra os Albigenses. Domingos continua com grande zêlo seu trabalho na conversão dos hereges.

1209 – Simon de Monfort marcha a frente dos Cruzados. Domingos, na margem da guerra, continua sua pregação, sofrendo todo tipo de injúrias por parte dos Albigenses.

1211 – Salva do naufrágio uns peregrinos ingleses que iam visitar o sepulcro de São Tiago.

1212 – Recusa os bispados de Couserans, Bézier e Cominges.

1213 – Batalha de Muret e vitória do conde de Monfort sobre os hereges. Morre em batalha Pedro II rei de Aragão.

1215 – Domingos estabelece em Tolosa, numa casa cedida por Pedro Seila, a primeira comunidade de pregação, tendo como tarefa a pregação itinerante no território da diocese.

1215 – Setembro: segunda viagem a Roma, acompanhando o bispo de Tolosa Fulco, para assistir ao Concílio de Latrão e solicitar do Papa a aprovação da sua Ordem.

1216 – Fevereiro: Domingos volta a Tolosa e junto com seus discípulos escolhe para a Ordem a Regra de Santo Agostinho.

1216 – Junho: Domingos recebe do bispo de Tolosa Fulco a igreja de São Romano, perto da qual ele organiza a primeira comunidade da sua Ordem.

1216 – 28 de agosto: na festa de Santo Agostinho, Domingos toma posse do convento de São Romano.

1216 – Domingos envia seis dos seus discípulos às aulas de teologia do mestre Alexandre Stavensby, em Tolosa.

1216 – Setembro: ele vai pela terceira vez a Roma, levando consigo o primeiro projeto das Constituições para a sua Ordem.

1216 – 22 de dezembro: Papa Honório III entrega a Domingos a Bula de confirmação da Ordem dos Frades Pregadores.

1217 – Na primavera, viaja de volta para o Sul da França.

1217 – 15 de agosto: Domingos dispersa seus primeiros frades, enviando quatro para a Espanha e sete para Paris. Ele viaja para Roma no final do mesmo ano, em companhia de frei Estevão de Metz.

1218 – Janeiro: chega a Roma e funda o convento de São Sixto.

1218 – Trabalho intenso de pregação em Roma. Manifesta seu poder taumatúrgico com numerosos milagres. Aumento extraordinário do número dos frades.

1218 – Domingos envia os primeiros frades a Bolonha.

1218 – Na primavera se incorpora à Ordem o mestre Reginaldo de Orleans e na volta da Terra Santa ele é destinado para o convento de Bolonha.

1218 – Outubro-novembro: Domingos viaja rumo à Espanha, visitando os conventos de Bolonha, Tolosa e Pruille.

1218 – Dezembro: Domingos chega à Espanha e passa o Natal em Segovia.

1219 – No final de janeiro Domingos visita Madrid e no fim do inverno vai para
Guadalajara, onde recebe na Ordem muitos candidatos.

1219 – Na primavera, Domingos viaja para Paris acompanhado pelo frei Bertrão de Garriga. Em Paris ele encontra uma comunidade de mais de trinta frades. Envia religiosos para fundar conventos em Reims, Metz, Orleans, Poitiers e Limoges. Envia para a Espanha seu irmão Manés, já religioso dominicano, e frei Miguel de Fabra, primeiro mestre de teologia da Ordem. Estreita vínculo de amizade com Jordão de Saxônia, que no ano seguinte ingressa na Ordem, sendo depois seu primeiro sucessor como Mestre da Ordem.

1219 – No mês de novembro se encontra com o Papa Honório III em Viterbo, obtendo dele uma bula de recomendação da Ordem, para fazer frente a oposição que os frades encontravam em muitos lugares por parte do clero secular.

1219 – Dezembro: vai pela quinta vez a Roma e por ordem do Papa Honório se dispõe a realizar o projeto de reunir no convento de São Sixto monjas dispersas de diversos mosteiros de Roma. Pelos frades de São Sixto recebe a casa do próprio Papa no monte Aventino, com a igreja de Santa Sabina.

1220 – Fevereiro: atua-se mudança das monjas de Roma para São Sixto. Neste lugar Domingos ressuscitou o jovem Napoleão, sobrinho do cardeal Estevão de Fossanova. Em Paris morre frei Reginaldo de Orleans e no dia 12 de fevereiro toma o hábito da Ordem Jordão de Saxônia.

1220 – A partir do dia de Pentecostes, Domingos preside o primeiro Capítulo geral da
Ordem no convento de Bolonha. Neste Capítulo foram elaboradas as primeiras Constituições da Ordem.

1220 – Terminado o Capítulo de Bolonha, Domingos viaja para o Norte da Itália e, por encargo do Papa, começa uma missão de pregação e pacificação nas regiões infestadas pela heresia.

1220 – Dezembro: Domingos volta pela sexta e última vez a Roma.

1221 – No dia 29 de março recebe um documento papal no qual é apresentado como “Prior da Ordem dos Pregadores”.

1221 – No mês de abril, Domingos viaja para Bolonha, visitando os conventos de Sena e Florença.

1221 – 30 de maio: no dia de Pentecostes, Domingos preside a abertura do segundo Capítulo Geral da Ordem, em Bolonha. Neste Capítulo a Ordem ficou articulada em oito Províncias.

1221 – Depois do Capítulo de Bolonha Domingos se encaminha para Veneza para se encontrar com o cardeal Hugolino e estabelecer os planos da pregação no Norte da Itália.

1221 – Final de julho: Domingos chega de volta ao convento de Bolonha, muito cansado e enfermo.

1221 – 6 de agosto, sexta-feira, ao entardecer, Domingos morre no convento de São
Nicolau em Bolonha, rodeado pelos seus filhos. Ele é sepultado no coro, sob os pés dos frades.

1233 – 24 de maio: os restos mortais de Domingos são transladados do coro dos frades para um túmulo mais digno, na igreja de São Nicolau em Bolonha.

1234 – 3 de julho: Papa Gregório IX (já cardeal Hugolino) canoniza a Domingos de Gusmão com a bula: “Fons Sapientiae” .

(Tradução e livre elaboração do texto: “Cronologia de Santo Domingo”, em
Santo Domingo de Gusmão’, BAC, Madrid 1966, pp. 102-105)

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: