Gabriel Silva

Os Dominicanos na Diocese de Beja.

In Frades, NOTÍCIAS on 09/12/2006 at 15:58

Na Ecclesia

A primeira intervenção dos Dominicanos na Diocese de Beja, de que há notícia nos tempos mais recentes, data de 1984, relacionada com a construção e inauguração da igreja de Aldeia dos Fernandes (Almodôvar), onde se fez notar a colaboração de Frei Jerónimo. Por essa altura, em contacto com Frei Pedro, (Fátima), o Bispo D. Manuel Falcão apelou à participação dos Padres Pregadores nas missões populares em curso na Diocese.
Dez anos mais tarde, em conversa de 18 de Julho de 1994 com o então Provincial, Frei Mateus Peres, o mesmo Bispo pediu a colaboração da Província Dominicana na pastoral diocesana, apresentando-lhe, em carta de 13 de Agosto, várias hipóteses, as quais tiveram bom acolhimento (carta de 15 de Outubro). O bom andamento das diligências não foi prejudicado pela reacção negativa da população de Amareleja à iniciativa de Frei Elias de instalar perto um centro de doentes terminais de sida.
Em encontros pessoais do Bispo com o Provincial, ficou decidida a ida para Odemira de uma comunidade de três dominicanos: Frei Pedro, Frei Marcos e o diácono Frei António Jorge. Entretanto, com a colaboração preciosa das Oblatas do Divino Coração da vila, preparou-se a residência paroquial, até então ocupada pelo pároco Cónego Manuel Nazário Correia.
Como Frei Pedro não pudesse deixar desde logo as ocupações a que se entregava em Fátima, foi empossado como pároco interino Frei Marcos Vilar, por ocasião da missa das 11 h de Domingo 8 de Setembro de 1985, na igreja do Salvador. Pouco depois integrou-se na comunidade Frei Pedro, e Frei António Jorge foi nomeado capelão do Estabelecimento Prisional de Mulheres sito em Odemira.
No dia 6 de Outubro de 1996, nesta mesma igreja do Salvador, foi ordenado presbítero por D. Manuel Falcão, Frei António Jorge Ferreira Lopes. O acontecimento, de que não havia memória na região, entusiasmou os paroquianos e teve a presença de vários membros da comunidade dominicana e da família do ordenado. O copo de água foi no Jardim de Infância das Oblatas. O Presidente da Câmara fez-se representar pela Esposa e compareceu no final, para prometer a colaboração no restauro das igrejas da paróquia.
Já com o novo Provincial, Frei Miguel dos Santos, foi assinado por ele e pelo Bispo o habitual Contrato dos Dominicanos com a Diocese de Beja, a regular a permanência da comunidade de Odemira. Com generosidade, esta comunidade acedeu a assumir interinamente o cuidado pastoral de paróquias vizinhas, na ausência ou demissão dos respectivos párocos.
Em Outubro de 1998, com a saída de Frei António Jorge, integraram-se na comunidade dois novos dominicanos: Frei Jerónimo, que assumiu a capelania do Estabelecimento Prisional, e Frei António. Em 26 de Agosto de 1999, a comunidade recebeu a visita do Geral dos Dominicanos, Frei Thimothey. O almoço, a que estiveram presentes o Bispo e o Provincial, foi na Casa das Oblatas.
A 6 de Outubro de 2002, D. António Vitalino introduziu a comunidade dominicana em S. Teotónio, após ter dialogado com o Provincial e os seus membros sobre a necessidade e as condições desta transferência. Em nome dos 3 padres da comunidade, presentes na celebração da Eucaristia dominical, o pároco, frei Jerónimo, fez o compromisso de assumir com generosidade a nova missão que lhes foi confiada. Um grupo de jovens animou com muita alegria o canto, apesar da contestação de alguns amigos do pároco anterior. Embora mostrando compreensão para a tristeza de algumas pessoas pela saída de um padre amigo, a quem se agradece o trabalho desenvolvido durante sete anos, o Bispo exortou os presentes a continuar a trabalhar na Vinha do Senhor, colaborando com os padres dominicanos, pois todos somos chamados a dar a nossa contribuição, sendo o dono e mestre de todos apenas Nosso Senhor Jesus Cristo, a Pedra Angular, que nos salva e perdoa os nossos erros e pecados, quando confiados à sua misericórdia.
Se Odemira com os seus 1.719,73 Km quadrados, mas apenas 26.106 habitantes segundo o censo de 2001, é o maior concelho de Portugal, S. Teotónio e Zambujeira do Mar, duas freguesias do concelho no litoral atlântico, com cerca de 350 Km quadrados e à volta de seis mil habitantes, é em área a maior paroquia da Europa.
No dia 5 de Setembro de 2004, passou por S. Teotónio o Pe. Geral da Ordem Dominicana, Pe. Carlos, de nacionalidade argentina, acompanhado do Conselheiro Geral para a Região Ibérica. O bispo de Beja também se deslocou até lá, para agradecer o empenhamento da Ordem na nossa diocese, colaboração essa que pouco mais tempo duraria, pois o capítulo provincial em 2005 decidiria fechar esta comunidade e transferir os seus membros para outros lugares.
A 24 de Setembro de 2006, com a presença do Provincial, Pe. José Nunes OP e dos Bispos residencial e emérito, em solene concelebração a comunidade despediu-se da diocese. Nas palavras de agradecimento e despedida o Bispo agradeceu e fez votos de que regressem logo que possível. O pároco cessante, frei Jerónimo, lembrou que Deus escreve direito por linhas tortas, mas que através dos dominicanos escreveu torto…, mas ainda poderá endireitar tudo.
Assim, após onze anos de presença na diocese de Beja, os dominicanos deixaram terras alentejanas.D. Manuel F. Falcão e D. António Vitalino
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: