Gabriel Silva

A HISTÓRIA DOS 350 ANOS DA IGREJA DO CORPO SANTO

In História on 17/04/2009 at 12:35

O próximo dia 4 de Maio de 2009 marcará o 350º aniversário do lançamento da primeira pedra da Igreja do Corpo Santo.

Este evento representou o fim de uma fase de uns 50 anos, durante os quais, os Dominicanos Irlandeses, fugidos da perseguição religiosa na sua pátria, tentavam estabelecer um convento e um seminário em Portugal para aí trazer e formar jovens irlandeses para o sacerdócio e reenviá-los para a Irlanda, em segredo, para manter acesa a fé católica. Marcava também o princípio da sua longa missão de oração, ensino e serviço pastoral em Portugal.

A igreja actual não é a original que ficou totalmente destruida no Grande Terramoto de 1 de Novembro de 1755. O seminário e igreja reconstruidas foram consagradas a 13 de Outubro de 1770. Curiosamente, foi a igreja dedicada a Nossa Senhora do Rosário.

Em 1856 o seminário foi encerrado e os Dominicanos Irlandeses mantiveram apenas a igreja e o convento onde residiam. A partir dessa data a sua missão passou a ser a de apoio e ajuda pastoral para os católicos de língua inglesa na Diocese de Lisboa. Mas em data anterior, em 1834, quando as Ordens Religiosas foram banidas de Portugal, a sua igreja e o seu convento não foram abrangidos por serem de propriedade estrangeira. O padres irlandeses, então, passaram a dar formação religiosa e apoio pastoral a famílias portuguesas.

Apesar de as Ordens Religiosas terem retornado a Portugal alguns anos mais tarde, novamente, em 1910, e com o estabelecimento do princípio de Separação entre a Igreja e o Estado, tornou-se impossível à Igreja Portuguesa cumprir a sua missão pastoral. Então, foram a Igreja do Corpo Santo e os seus Dominicanos que se encarregaram, em Lisboa, de cumprir essa tarefa junto de famílias portuguesas.

Na segunda parte do séc. XX, pouco depois da II Guerra Mundial, rumaram à terra dos seus antepassados, um grupo consideravel de católicos provenientes da China mas descendentes de portugueses, e fugidos à tomada do poder pelos Comunistas. Assim começou uma nova fase e uma nova missão para o Corpo Santo. A de acolhimento e ajuda a imigrantes refugiados que chegaram a Portugal. O grupo da China, constituido por umas 600 pessoas, conhecido como o “China Community” obteve dos Dominicanos Irlandeses autorização para fazer do Corpo Santo a sua base, quer espiritual, quer social. Ainda hoje alguns frequentam o Corpo Santo.

Depois, na década de 1960, com a tomada de Goa pela Estado Indiano, um pequeno grupo de católicos goeses veio juntar-se à congregação do Corpo Santo. A estes se seguiram, no fim da década de 1970 e princípios da de 1980, mais um grupo de migrantes económicos, desta vez provenientes das Filipinas.

Entretanto, o Cardeal Patriarca de Lisboa nomeou o Corpo Santo como a Paróquia dos Católicos de Língua Inglesa da Diocese. E, novamente, na década de 1980, a nossa congregação cresceu e integrou Católicos Nigerianos e de outros países africanos que procuraram Portugal para aí estabelecer as suas famílias e tentar construir um futuro melhor.

Quando, no ano de 2000, o Cardeal Patriarca de Lisboa, D. José Policarpo, presidiu pela primeira vez a uma missa especial anual dedicada a Católicos estrangeiros da Diocese, a Igreja do Corpo Santo representava 14 nacionalidades diferentes entre os seus paroquianos que também incluiam Católicos estrangeiros de língua inglesa que residiam no país como diplomatas ou representantes de empresas multinacionais.

E, assim, o Corpo Santo, que começou por ser uma refúgio para jovens irlandeses que procuravam aqui formação para o sacerdócio, veio, no decurso da sua longa história, a ser também refúgio para muitos outros católicos tanto portugueses como de outras origens multiétnicas.

É nossa esperança que este papel e esta missão continuem a ser a sua no futuro. A nossa paróquia é uma paróquia dinâmica e dedicada, multinacional, multiétnica e, até, multi-religiosa. Entre os nossos membros regulares temos famílias com os pais de origem egípcia Maronita e Católica filipina, ou Ortodoxa ucraniana e Católico nigeriano, ou Hindu indiano e Católica filipina, ou Protestante americano e Católica americana.

Os filhos destas famílias são o nosso futuro e a nossa esperança e à medida que damos testemunho da nossa Fé também damos testemunho da universalidade da Igreja Católica.

No Domingo, 3 de Maio de 2009, às 11.00 iremos celebrar uma Missa de Acção de Graças especial para marcar este aniversário.

Lisboa, 16 de Abril de 2009

Advertisements
  1. vão fazer muita falta.qual o motivo para abandonarem, tantos fiéis???

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: